Dia Internacional da mulher

Porquê esta data?

Neste dimulheresa, no ano de 1857, as operárias têxteis de uma fábrica de Nova Iorque entraram em greve, ocupando a fábrica para reivindicar a redução de um horário de mais de 16 horas por dia para 10 horas. Estas operárias, que recebiam menos de um terço do salário dos homens, foram fechadas na fábrica, onde se declarou um incêndio.Cerca de 130 mulheres morreram queimadas. Em 1910, numa conferência internacional de mulheres realizada na Dinamarca, foi decidido homenagear aquelas mulheres, proclamando o dia 8 de Março como “Dia Internacional da Mulher”(ler mais)

©PAABECRE Efemérides Dia Internacional da Mulher 2017/2018
Anúncios

Leituras na biblioteca – A Perfeição de Eça de Queiroz

A turma do curso de educação e formação teve, na passada quinta-feira, uma aula de português na mediateca. A professora Helena Ribeiro promoveu a leitura do conto de Eça de Queiroz “A Perfeição” utilizando para o efeito os e-reader da biblioteca. O interesse foi muito e os alunos ficaram de repetir a experiência de ler este conto num suporte digital.

Sinopse

Ulisses tinha partido há 10 anos para a guerra de Tróia, da qual saíra vencedor. Ao regressar à terra natal, o destino arrasta-o para uma ilha deserta, onde fica sete anos em perfeita harmonia com a natureza, entre beleza e tranquilidade infindáveis e inefáveis. Nela reinava uma das cinquenta nereidas, Calipso, e algumas ninfas. Mas, descontente, Ulisses passa horas a divagar, sentado numa rocha, sentindo-se um guerreiro esquecido e abandonado.
Dados do eBook
  • Atlântico Press, Dezembro 2012
  • ISBN: 9789898373250
  • Língua: Português
  • Opções de transferência: EPUB 2 (Adobe DRM)

CESÁRIO VERDE (1855-1886)

Foi um dos grandes poetas portugueses. A sua obra não é muito vasta, porque morreu de tuberculose com apenas trinta e um anos. Foi jornalista e começa a publicar os seus poemas nos jornais, sobretudo no Diário de Notícias. Apesar desta divulgação, a importância da sua obra não foi reconhecida durante a sua vida. Foi, aliás, mordazmente criticada por Ramalho Ortigão e Teófilo Braga, seus contemporâneos. Só em 1887, um ano depois da sua morte, e quando Silva Pinto faz publicar em livro alguns dos poemas, “O livro de Cesário Verde”, é que começa o seu apreço público. Escreveu mais poesia, mas os outros poemas acabaram por não ser publicados por terem desaparecido num incêndio em sua casa, em 1919.

Hoje, a sua obra é muito apreciada. “Só” é, talvez, o seu livro mais conhecido, o “livro mais triste publicado em Portugal”, segundo o autor. Mas é indubitável a sua influência na poesia moderna portuguesa. Um modernista antes do tempo: o retrato da vida quotidiana, das coisas humildes e simples do dia a dia; o binómio campo/cidade, que serve de suporte aos sentimentos e ideias do poeta, aproximam-no do Realismo e do Naturalismo. A sua obra tem sido objecto de estudo, com opiniões muito variadas.(saber mais).

Efemérides

Ficha informativa

Base de Dados de Autores Portugueses

(adaptação nossa: professora Adelaide Saraiva)

©PAABECRE Efemérides Cesário Verde 2017/2018
Imagem

Prémio Escolar Ano Europeu do Património Cultural 2018 – AEPC 2018

 

Consulte aqui o Regulamento

Almeida Garrett, 4 de fevereiro de 1799

 

 

 

 

 

 

 

 

 

João Batista da Silva Leitão de Almeida Garret nasceu na cidade do Porto no dia 04 de fevereiro de 1799. Teve uma vida muito ativa em vários domínios da história de Portugal. Foi político, romancista, dramaturgo, poeta e jornalista. Homem das letras e da cultura, tantas vezes incompreendido e esquecido, Almeida Garrett, deu uma nova expressão à língua portuguesa, ressuscitou e renovou o teatro nacional, coligiu a tradição oral popular num livro que é tido por alguns especialistas como a primeira expressão da etnografia portuguesa – o famoso “Romanceiro” – e participou activamente na vida política do país, tendo sido deputado, diplomata e ministro. Inovador no seu tempo, publicou o poema libertino O Retrato de Vénus (1821) que absorve a atenção da crítica, sendo assim taxado e processado como ateu e imoral. Mas também na política tem uma vida complicada. Lutou ao lado de D. Pedro contra os absolutistas e pagou pelas suas convicções políticas, mais do que uma vez, o preço do exílio.

Foi durante o seu exílio em Inglaterra que ele descobriu Shakespeare, Lord Byron e Walter Scott e o romantismo inglês. Traz para Portugal o ideário Romântico e, publica o poema “Camões” (1825), introduzindo o romantismo na literatura portuguesa. Pouco privilegiado pelos novos programa de português, o seu ensino reduz-se hoje ao estudo de Frei Luís de Sousa e alguma poesia, nitidamente insuficiente, segundo a especialista Rosa Cruz que lamenta: “um dos pilares do romantismo nacional é colocado numa posição acessória na formação literária dos alunos portugueses”. Mas como esquecer os poemas da Nau Catrineta e Barca a Bela que nos habituámos a trautear?

Principais obras de Almeida Garrett:

– Camões (1825)

– Dona Branca (1826)

– Adosinda (1828)

– Catão (1828)

– Romanceiro (1843)

– Cancioneiro Geral (1843)

– Frei Luís de Sousa (1844)

– Flores sem Fruto (1844)

– D’O Arco de Santana (1845)

– Folhas Caídas (1853)

Outras fontes

Efemérides

Base de Dados de Autores Portugueses

(adaptação nossa: professora Adelaide Saraiva)

©PAABECRE Efemérides Almeida Garrett 2017/2018

Semana dos Direitos Humanos e Solidariedade

A última semana de aulas da Escola Secundária de S. João do Estoril foi animada pela realização de diversas atividades no âmbito da Semana dos Direitos Humanos e Solidariedade. No espaço da Biblioteca Escolar esteve exposta durante a referida semana uma pequena exposição de obras relacionadas com a temática.


No dia 11 recebeu a visita da irmã Maria Manoel acompanhada por dois  membros da Comissão de Apoio à Vitima de Tráfico de Pessoas que  testemunharam  as diversas violações aos mais elementares direitos e dignidade da pessoa existentes no mundo atual. Foi um momento muito interessante que captou o interesse dos alunos e professores das turmas do 3º R e do 11º J.

No dia 14 a turma da professora Anabela Carvalho leu o texto de Eça de Queiroz ” O Natal “, Cartas de Inglaterra, 1905, seguindo-se um diálogo muito animado sobre o seu conteúdo.

No encerramento desta semana a Biblioteca aplaudiu a  aluna Bárbara Chora que interpretou a peça para violino The Boy Paganini Fantasia.

A Semana dos Direitos Humanos e Solidariedade foi organizada pela disciplina de Educação Moral e Religiosa Católica em parceria com a BECRE.

Peregrinação, João Botelho

20171128_222105.jpg