Marta Padeira voluntaria em Kibéria – Quénia 2018

O Encontros com História do passado dia 20 de abril trouxe à biblioteca a Marta  senior global programs and sourcing associate na Boston Consulting Group.

Durante o mês de fevereiro foi voluntária num dos maiores bairro de barracas do mundo na periferia da capital do Quénia, Kibéria. Perante uma plateia atenta os alunos do 11º ano, ouviram um sentido testemunho sobre a dura realidade das jovens adolescentes vitimas de abusos sexuais em troca de algum dinheiro para poderem comprar alguma caixa de penso higiénicos que lhes permita reunir as condições para irem à escola.

Colaborando com a Fundação Garden of Hope conheceu de perto a luta que todos os dias travam os seus colaboradores para que as raparigas quenianas tenham um futuro mais sorridente. Foi uma experiência marcante que nunca esquecerá e que acredito ter sensibilizado todos quantos a ouviram. Obrigado Marta pela partilha.

Anúncios
Imagem

Encontros com História – 20 de abril

Semana da Leitura, balanço

A Biblioteca Escolar, à semelhança de anos anteriores, associou-se aos objetivos do Plano Nacional de Leitura e sob o tema Ler! A qualquer hora, em qualquer lugar! organizou um conjunto de iniciativas visando a promoção da leitura junto da sua comunidade escolar. Na presente edição da Semana da Leitura as atividades realizadas de 19 a 23 de março mobilizaram cerca de 400 alunos das turmas do ensino secundário e cerca de 25 docentes. Um especial agradecimento ao jovem escritor André Fernandes que de uma forma muito serena captou o interesse de todos quantos testemunharam a sua emotiva apresentação do livro Tia Guida, à nossa Florbela Duarte, assistente operacional, aos professores Jorge Alves, Helena Ribeiro, Susana Lima e Tierri Cachado que dinamizaram os momentos Os Livros da Minha Vida e que sem dúvida nenhuma contagiaram com o seu entusiasmo e gosto pela leitura todos quantos assistiram. Parabéns aos professores de português que promoveram e realizaram o passeio literário no âmbito da sensibilização para a leitura do livro O Ano da Morte de Ricardo Reis. O sol esteve sempre presente proporcionando uma agradável caminhada pelos locais referidos na obra de José Saramago. Deixamos aqui as fotos para recordar os momentos vividos. Até para o ano.

 

Imagem

Programa da Semana da Leitura 2018 da ESSJE


Dia Internacional da mulher

Porquê esta data?

Neste dimulheresa, no ano de 1857, as operárias têxteis de uma fábrica de Nova Iorque entraram em greve, ocupando a fábrica para reivindicar a redução de um horário de mais de 16 horas por dia para 10 horas. Estas operárias, que recebiam menos de um terço do salário dos homens, foram fechadas na fábrica, onde se declarou um incêndio.Cerca de 130 mulheres morreram queimadas. Em 1910, numa conferência internacional de mulheres realizada na Dinamarca, foi decidido homenagear aquelas mulheres, proclamando o dia 8 de Março como “Dia Internacional da Mulher”(ler mais)

©PAABECRE Efemérides Dia Internacional da Mulher 2017/2018

Leituras na biblioteca – A Perfeição de Eça de Queiroz

A turma do curso de educação e formação teve, na passada quinta-feira, uma aula de português na mediateca. A professora Helena Ribeiro promoveu a leitura do conto de Eça de Queiroz “A Perfeição” utilizando para o efeito os e-reader da biblioteca. O interesse foi muito e os alunos ficaram de repetir a experiência de ler este conto num suporte digital.

Sinopse

Ulisses tinha partido há 10 anos para a guerra de Tróia, da qual saíra vencedor. Ao regressar à terra natal, o destino arrasta-o para uma ilha deserta, onde fica sete anos em perfeita harmonia com a natureza, entre beleza e tranquilidade infindáveis e inefáveis. Nela reinava uma das cinquenta nereidas, Calipso, e algumas ninfas. Mas, descontente, Ulisses passa horas a divagar, sentado numa rocha, sentindo-se um guerreiro esquecido e abandonado.
Dados do eBook
  • Atlântico Press, Dezembro 2012
  • ISBN: 9789898373250
  • Língua: Português
  • Opções de transferência: EPUB 2 (Adobe DRM)

CESÁRIO VERDE (1855-1886)

Foi um dos grandes poetas portugueses. A sua obra não é muito vasta, porque morreu de tuberculose com apenas trinta e um anos. Foi jornalista e começa a publicar os seus poemas nos jornais, sobretudo no Diário de Notícias. Apesar desta divulgação, a importância da sua obra não foi reconhecida durante a sua vida. Foi, aliás, mordazmente criticada por Ramalho Ortigão e Teófilo Braga, seus contemporâneos. Só em 1887, um ano depois da sua morte, e quando Silva Pinto faz publicar em livro alguns dos poemas, “O livro de Cesário Verde”, é que começa o seu apreço público. Escreveu mais poesia, mas os outros poemas acabaram por não ser publicados por terem desaparecido num incêndio em sua casa, em 1919.

Hoje, a sua obra é muito apreciada. “Só” é, talvez, o seu livro mais conhecido, o “livro mais triste publicado em Portugal”, segundo o autor. Mas é indubitável a sua influência na poesia moderna portuguesa. Um modernista antes do tempo: o retrato da vida quotidiana, das coisas humildes e simples do dia a dia; o binómio campo/cidade, que serve de suporte aos sentimentos e ideias do poeta, aproximam-no do Realismo e do Naturalismo. A sua obra tem sido objecto de estudo, com opiniões muito variadas.(saber mais).

Efemérides

Ficha informativa

Base de Dados de Autores Portugueses

(adaptação nossa: professora Adelaide Saraiva)

©PAABECRE Efemérides Cesário Verde 2017/2018