Monthly Archives: Fevereiro 2014

Richard Towers

foto Richard TowersNo âmbito da celebração da Semana da Leitura, Richard Towers, pseudónimo de Martinho Torres, escritor, criador, autor, e editor, estará no próximo dia 20 de março pelas 15h25 na Escolas Básicas 2,3 da Galiza e pelas 16h55 na Secundária de S. João do Estoril, a apresentar um novo conceito designado por livro-objeto. Pela obra criada foi reconhecido na área da inovação como uma das cinco melhores ideias nacionais fato que o distinguiu como um dos mil portugueses mais promissores e engenhosos da atualidade.

 Cedo sentiu o apelo dos livros e da importância da leitura, pois, como afirmou, somos aquilo que lemos, e chegou ao mundo da escrita pela mão da música ou melhor da composição musical que também desenvolveu.
Já foi professor de Português e Francês, tendo lecionado durante alguns anos, mas preferiu outras artes para se realizar e expressar a sua vocação de artista. Dedicou grande parte da sua vida à música, mas a escrita é a sua atual ocupação, tendo já publicado vários livros.
A presença do escritor e criador dos livros Tempo, Reflexos e o Desafio, surge como resposta ao convite lançado pelo professor coordenador das bibliotecas escolares do Agrupamento,  esperando que este seja um excelente motivo para a participação de alunos e professores da comunidade escolar na celebração da leitura em língua portuguesa. A inscrição para a participação nos referidos encontros com o escritor, deverá ser efetuada nas bibliotecas escolares do Agrupamento. Brevemente será divulgado o programa da Semana da Leitura.
Anúncios

O Amor na Literatura Portuguesa

Amor na LP3O dia 14 de fevereiro assinala  S. Valentim. É uma data comemorativa, não oficial, destinada aos casais de namorados, pretendentes e apaixonados. É tradição a troca de presentes, bombons e cartões com mensagens de amor entre namorados ou pessoas que se amam. Sendo o amor  um mote tão querido da literatura portuguesa, a BECRE associa-se à celebração através de uma pequena exposição ilustrativa de alguns autores que na sua época traduziram  em poemas, crónicas, romances. este tema. Salientam-se as cantigas de amigo marcado pelo sofrimento por amor, o lirismo em Luís de Camões  ligado à ideia do Amor como um ideal superior e perfeito e apenas baseado na contemplação, que todos os Homens tentam alcançar mas, sendo imperfeitos, não conseguem. Eça de Queirós, pelo contrário, adopta a corrente realista, onde retrata o Homem e a sociedade tal qual eles são.  Fernando Pessoa subdivide-se em vários heterónimos, porém a sua visão do amor nunca difere violentamente das dos autores antes referidos. Entre os seus heterónimos e ortónimo, existem duas visões principais: a do amor quase que apenas contemplativo (principalmente em Ricardo Reis) e o amor às coisas, à Natureza e, por vezes, à sociedade. Ocorre também a recusa do amor, com o refúgio na intelectualização das emoções, nomeadamente, em Fernando Pessoa, ortónimo. Apesar da sua complexidade é importante ler e promover a leitura dos nossos escritores que nos deixam um precioso legado sobre os sentimentos, os usos e costumes das gentes que habitam este nosso Portugal. Viva o Amor, Viva a leitura.